11 de dezembro de 2009

Recarregando as baterias

Bom, quem conhece bem Alessandro e eu sabe que não somos nem um pouco religiosos, mas temos nossos momentos de recarregar o espírito.

Esse local é uma basílica contruída e dedicada a São José e é um ponto turístico de Montreal que recebe muitos visitantes. Ela foi construída por Irmão André, um padre a quem são atribuídos diversos milagres e que foi beatificado em 82.

Há tempos o Paulo havia sugerido que fossémos visitar, porque é um local muito bonito. E depois eu descobri que aos domingos à tarde tem um concerto de órgãos de tubos, daqueles gigantescos. Então não dava pra perder! Chamamos novos amigos brasileiros que conhecemos aqui e fomos pra lá.


A entrada, com a basílica ao fundo. Na foto estão Laura, Cecília e Lívia, uma outra brasileira que entrou na escola delas.


Ao fundo a escadaria para a igreja. É comum aqui ver pessoas subindo as escadas de joelhos, como a senhora de casaco vermelho, para pagar promessas.




Olhando para a rua, do alto da escadaria.


O trio!




Dentro da igreja, ouvindo o concerto.

Abaixo vai uma amostra:

video

O órgão é tão grande que nem dá pra ver quem está tocando. É por isso até que as pessoas nem ficam de frente pro órgão. Ficam sentados só curtindo a música.


Bem, acho que dá pra entender, mas uma forcinha pra quem não conhece francês: José o Justo. Santo esposo da Virgem Maria. Guardião dos filhos de Deus.


Algumas das estátuas dentro da igreja. Muito bonitas! Mas ficamos todos na dúvida quem elas representavam. Eram 12 no total, então pensamos logo: são os apóstolos. Mas os nomes embaixo de algumas delas não tinha nada a ver com os nomes dos apóstolos. Um dia a gente descobre...


O altar. Lindas esculturas!


A lateral da igreja no pôr-do-sol. A cor era impressionante!


Esta foi a primeira capela construída pelo irmão André. Ele morava num quartinho no andar de cima.


A capela e o sol se pondo.




As três sapecas!


O pôr-do-sol é deslumbrante!

O sol já se foi, mas ainda não tinha escurecido totalmente. É maravilhoso. A foto ficou tremida porque tava muito frio e eu tinha esquecido minhas luvas. Não dava pra não tremer a mão.

Depois de um lugar desses e uma despedida de dia como acima, acho que todos nós saímos mais energizados.

O novo berço


As duas não podiam querer farra maior!

Quando a gente foi comprar a cama delas, elas pediram - principalmente Laura - que não fosse bicama, como era no Brasil, porque achavam chato ter que ficar empurrando e puxando cama todo dia. A solução então foi um beliche.

Foi tanta farra no dia que a cama chegou que Cecília despencou lá de cima e caiu de cabeça no chão e Laura se atrapalhou com as pernas e braços e ficou dependurada pelo braço. Mais um pouquinho e ela quebrava o braço.




Mas agora elas já se acostumaram e não tivemos mais acidentes. Ufa!

Dias mais esportivos 2

No início de outubro as duas tiveram uma pequena competição esportiva na escola. Todas as crianças da escola foram para um parque próximo participar de umas provas de corrida promovidas pelos professores de educação física.

Como eu e Alessandro estávamos em casa, nos oferecemos como voluntários para ajudar a organizar e conduzir as provas.

O dia estava lindo e fazia um sol muito bonito. Mas a temperatura era de 8 graus!


Uma geral do parque antes das crianças chegarem.

Agora são as crianças correndo. Só sendo criança mesmo pra correr felizes da vida no frio que estava...












Depois tinha suco e maçã para as crianças.
Dias depois veio o resultado:


E Cecília com direito a medalha!