11 de dezembro de 2009

Recarregando as baterias

Bom, quem conhece bem Alessandro e eu sabe que não somos nem um pouco religiosos, mas temos nossos momentos de recarregar o espírito.

Esse local é uma basílica contruída e dedicada a São José e é um ponto turístico de Montreal que recebe muitos visitantes. Ela foi construída por Irmão André, um padre a quem são atribuídos diversos milagres e que foi beatificado em 82.

Há tempos o Paulo havia sugerido que fossémos visitar, porque é um local muito bonito. E depois eu descobri que aos domingos à tarde tem um concerto de órgãos de tubos, daqueles gigantescos. Então não dava pra perder! Chamamos novos amigos brasileiros que conhecemos aqui e fomos pra lá.


A entrada, com a basílica ao fundo. Na foto estão Laura, Cecília e Lívia, uma outra brasileira que entrou na escola delas.


Ao fundo a escadaria para a igreja. É comum aqui ver pessoas subindo as escadas de joelhos, como a senhora de casaco vermelho, para pagar promessas.




Olhando para a rua, do alto da escadaria.


O trio!




Dentro da igreja, ouvindo o concerto.

Abaixo vai uma amostra:

video

O órgão é tão grande que nem dá pra ver quem está tocando. É por isso até que as pessoas nem ficam de frente pro órgão. Ficam sentados só curtindo a música.


Bem, acho que dá pra entender, mas uma forcinha pra quem não conhece francês: José o Justo. Santo esposo da Virgem Maria. Guardião dos filhos de Deus.


Algumas das estátuas dentro da igreja. Muito bonitas! Mas ficamos todos na dúvida quem elas representavam. Eram 12 no total, então pensamos logo: são os apóstolos. Mas os nomes embaixo de algumas delas não tinha nada a ver com os nomes dos apóstolos. Um dia a gente descobre...


O altar. Lindas esculturas!


A lateral da igreja no pôr-do-sol. A cor era impressionante!


Esta foi a primeira capela construída pelo irmão André. Ele morava num quartinho no andar de cima.


A capela e o sol se pondo.




As três sapecas!


O pôr-do-sol é deslumbrante!

O sol já se foi, mas ainda não tinha escurecido totalmente. É maravilhoso. A foto ficou tremida porque tava muito frio e eu tinha esquecido minhas luvas. Não dava pra não tremer a mão.

Depois de um lugar desses e uma despedida de dia como acima, acho que todos nós saímos mais energizados.

O novo berço


As duas não podiam querer farra maior!

Quando a gente foi comprar a cama delas, elas pediram - principalmente Laura - que não fosse bicama, como era no Brasil, porque achavam chato ter que ficar empurrando e puxando cama todo dia. A solução então foi um beliche.

Foi tanta farra no dia que a cama chegou que Cecília despencou lá de cima e caiu de cabeça no chão e Laura se atrapalhou com as pernas e braços e ficou dependurada pelo braço. Mais um pouquinho e ela quebrava o braço.




Mas agora elas já se acostumaram e não tivemos mais acidentes. Ufa!

Dias mais esportivos 2

No início de outubro as duas tiveram uma pequena competição esportiva na escola. Todas as crianças da escola foram para um parque próximo participar de umas provas de corrida promovidas pelos professores de educação física.

Como eu e Alessandro estávamos em casa, nos oferecemos como voluntários para ajudar a organizar e conduzir as provas.

O dia estava lindo e fazia um sol muito bonito. Mas a temperatura era de 8 graus!


Uma geral do parque antes das crianças chegarem.

Agora são as crianças correndo. Só sendo criança mesmo pra correr felizes da vida no frio que estava...












Depois tinha suco e maçã para as crianças.
Dias depois veio o resultado:


E Cecília com direito a medalha!


22 de outubro de 2009

Notre première chute de neige!!!

Ou seja, nevou pela primeira vez em Montreal!!!
Bem, pelo menos para a gente. Mas é engraçado que as pessoas daqui esperam por isso também com ansiedade, como se fosse uma grande novidade. Sempre achei que para eles não fizesse muita importância...

Foi hoje (22/10) um pouco depois de 17h. Laura e Cecília ficaram eufóricas - eu e Alessandro também! Elas não sabiam se olhavam só pela janela (por causa do frio) ou se saíam correndo pela rua para ver! Acabaram preferindo ficar em casa mesmo.

Como as temperaturas ainda não estão tão baixas para o padrão daqui (agora está por volta de +2 graus) essa primeira neve vem misturada com chuva e logo após a queda os flocos se desmancham. Na verdade acaba ficando mesmo meio que uma lameira na rua, porque ainda tem as folhas caídas.

Mas é muito bonito ver a neve caindo! Filmamos um pouquinho:

video

8 de outubro de 2009

La Fête des enfants

Em um ponto Laura e Cecília sairam perdendo com nossa vinda para o Canadá: aqui não se celebra o dia das crianças como no Brasil. Neste ano, por acaso, dia 12 de outubro vai ser feriado aqui porque é a comemoração dos dia de ação de graças (sempre na segunda segunda-feira dos mês de outubro). Mas nada a ver com crianças.

Existe até uma data dedicada às crianças, 20 de novembro, dia universal da criança, data criada pela ONU. Mas desconheço se aqui acontece algum tipo de celebração. Quando chegar perto, vamos descobrir...

Porém, no meio de agosto, no meio das férias escolares, a prefeitura promove no parque Jean-Drappeau 3 tardes de festas dedicadas às crianças, La Fête des enfants. Tem de tudo: teatro, show, circo, oficinas de arte, esportes e brinquedos. E tudo completamente grátis! É só chegar e se divertir.

É claro que não poderíamos deixar de levar as meninas! Fomos durante 2 dias, na sexta e no sábado. No domingo choveu um pouco de manhã e achamos melhor não ir por causa das alergias.

Mas na verdade nosso passeio começou mais cedo, antes fomos ao centro da cidade resolver algumas coisas e dar uma volta. Estava um dia muito bonito e bastante quente.


Estas bicicletas à nossa direita são um dos orgulhos dos montréalais. Fazem parte do Bixi, sistema criado aqui em que as pessoas se associam e podem pegar dessas bicicletas emprestadas para circular pela cidade. A idéia é bem simples: você pega emprestada - você usa - você devolve. Funciona tão bem que está sendo implantado em Londres e Boston.
Essas estações estão espalhadas por diversos locais da cidade. Basta o associado inserir seu código na ancoragem, a bicicleta é liberada e depois de usá-la, ele deve colocá-la novamente em qualquer estação. A taxa que se paga para fazer parte do sistema é bem baixa e os primeiros 30min de uso são gratuitos, depois paga-se um pouquinho pelo tempo de uso. Isso é para evitar que as pessoas peguem uma bicicleta e fiquem o dia inteiro com ela.
Eu achei isso ótimo, você tem sempre uma bicicleta nova à disposição e não precisa ficar fazendo manutenção e nem precisa ocupar espaço em casa. Ainda não tinha me associado porque perto da nossa casa não tinha estação ainda, mas o sistema está em expansão e semana passada instalaram uma estação na praça aqui na nossa frente!


Este é a região chamada Place des arts. Concentra vários teatros, museus, galerias, cinemas. Na rua e no subsolo. Na hora do almoço no verão, as escadarias ficam tomadas de pessoas que trabalham nas redondezas que aproveitam para curtir um solzinho.


Place des arts


Place des arts


Place des arts

Comemos no centro e depois fomos para o parque para a festa. Como era uma sexta e a maioria dos pais estava trabalhando, foi ótimo porque estava relativamente vazio e as duas puderam aproveitar bastante.


Laura recebendo pintura no rosto.


Cecília ficou com vergonha e não quis.

video
Ela preferiu encarar uma escalada!
Logo ao lado tinha um teatrinho que contava sobre uma menina que viajava em um navio fazendo paradas em lugares exóticos. Adivinha qual era um deles?? Rio de Janeiro!
Rimos muito quando veio a dança. A menina acha uma loja que ela veste uma roupa mágica e começa a dançar... salsa! Olha o resultado:
video
Laura ficava só dizendo assim: "mãe, lá ninguém se veste assim... nem no carnaval..."
Muita gente aqui acredita mesmo que os brasileiros falam espanhol e dançam salsa e merengue!

As duas na oficina de pintura de pratos.
Depois seguimos para uma grande área onde foram montados diversos infláveis para as crianças. As duas ficaram maravilhadas, porque como era de graça, puderam ir à vontade e quantas vezes quiseram.
















A cidade do outro lado do rio.








Quem cruzou nosso caminho? Uma marmota! As duas adoraram (e eu também)!


Olha o que nós achamos! Lembra alguma coisa??


video
Tinha uma exposição que era um acampamento militar do século 18 e no fim da tarde teve a troca da guarda!

Na volta para casa passamos no mercado para comprar algo para o jantar e olha que achamos no meio das cervejas!

No segundo dia da festa, no sábado, as meninas já não conseguiram aproveitar tanto, porque estava muito cheio mesmo. Ficamos mais passeando e olhando as coisas.






Nem preciso dizer que vamos levar as duas!